Descubra os fatores que impedem a redução de custos na sua empresa

O primeiro passo para uma empresa fazer uma redução de custos, sem perder a qualidade é, sem dúvida, descobrir as causas que levaram ao desequilíbrio das contas.

E geralmente a causa maior está relacionada à cultura da empresa, levando a erros de gestão como a falta de planejamento dos critérios de precificação, receitas, custos, despesas fixas, estrutura, investimentos, caixa, crescimento sustentável, indicadores de performance, entre outros.

Por onde começar a redução de custos?

Um dos erros mais recorrentes é pensar que a redução de custos está atrelada ao corte de funcionários ou nos serviços de atendimento ao cliente. Esses fatores afetam diretamente na relação da empresa com os clientes, podendo ferir a imagem que seu público tem da sua marca.

Quando é feito um corte brutal de funcionários, por exemplo, o mercado tende a inferir que a empresa está com sérios problemas financeiros. E isso não é nada bom!

Não que a redução do número de funcionários seja algo completamente inevitável. Em alguns cenários pode ser que seja uma das poucas opções, mas, é essencial ter um planejamento antes de tomar esse tipo de decisão, pois assim os impactos provavelmente serão amenizados.

E na falta de planejamento pode acontecer ainda que o mercado se recupere e, nesse caso, você terá que voltar a contratar. Aí o resultado é aquele famoso ditado de que, quem paga mal paga em dobro!

Como decidir se deve ou não cortar custos?

Em qualquer hipótese, o fato é que, para manter a lucratividade de um negócio, a decisão de cortar gastos não pode ser feita de forma aleatória. Se não for feita através de uma análise criteriosa, essa redução pode causar impactos negativos no mercado e pode causar a perda de clientes.

Antes de tudo deve-se evitar um dos erros mais crassos[1]  que existe na cultura de gestão que é não enxergar os custos como recursos a serem utilizados para a obtenção de resultados. Se não existe o recurso não se consegue o resultado desejado.

Dessa forma cada recurso deve ser analisado sob a ótica da relação custo / benefício. Cada centavo investido no estoque, na produção, no maquinário, em pessoal, na estrutura, nas campanhas e despesas de vendas, no marketing, etc. se não der retorno, justificando a razão de sua existência deve ser considerado perda. São custos que não agregam valor e devem ser cortados!

Outro erro não menos vital é não alinhar a empresa e seus gastos à estratégia macro da empresa.  Mas qual é a estratégia da empresa?

Em qualquer momento e em qualquer tempo a empresa deverá estar alinhada a uma das 3 macro estratégias que são: crescer, manter ou recuar.

E para se alinhar a uma dessas estratégias o empresário deverá considerar os 4 fatores que, de fato, fazem os resultados em qualquer empresa. São eles: do ponto de vista interno: os pontos fracos e fortes, e, do ponto de vista externo: as ameaças e oportunidades do mercado

Depois dessa análise criteriosa, aí sim, a empresa poderá se situar em uma das 3 estratégias macro e planejar uma gestão adequada dos custos:

ESTRATÉGIA DE CRESCIMENTO

Ocorre quando as oportunidades do mercado são favoráveis e os riscos são menores, e ainda, os pontos fortes da empresa superam seus pontos fracos. É claro que os custos variáveis irão aumentar, porém, numa escala bem menor que as receitas. Como os custos fixos tendem a se manter no mesmo patamar, os lucros irão aumentar numa escala considerável.

ESTRATÉGIA DE MANUTENÇÃO

Ocorre quando as ameaças do mercado se sobrepõem às oportunidades, mesmo que os pontos fortes sejam maiores que os pontos fracos, a empresa deverá ser cautelosa, procurando adequar a sua estrutura ao volume de negócios, negociar com fornecedores e fazer ajustes para manter as contas equilibradas.

ESTRATÉGIA DE RECUO

Se além das dos fatores externos expostos na estratégia de manutenção, os pontos fracos da empresa são maiores que os pontos fortes, então a empresa deverá optar por um plano de redução de custos mais audacioso e mais radical.

Esperamos que esse artigo tenha contribuído para que a sua empresa possa reencontrar o caminho do resultado. Continue a leitura em nosso blog — há mais artigos como esse, que podem agregar para o futuro sadio do seu negócio.